Dinheiro e dores de cabeça

Meu objetivo, desde o início, é não precisar pedir dinheiro para os meus pais. Também não quero me privar das viagens, eventos e compras que só poderei fazer lá, por não ter acesso a tudo isso aqui. Porém, alcançar essa meta significa muitas horas de pesquisa. Tudo isso para não fazer burrada com a riqueza provisória.

Hoje, dia 10/06, passei literalmente o dia todo pesquisando taxas, valores, cotações. Nunca me imaginei fazendo isso, pois sempre tive preguiça para essas coisas. Mas, quando o assunto é dinheiro a porra fica séria.

bad

Sinceramente, não consigo mais nem pensar direito. Não sei como tem gente que trabalha com essas coisas. Loucos, só podem. Agora entendo o porquê do uso abusivo das drogas em O Lobo de Wall Street. Povo tudo doido.

Enfim, certamente não irei postar isso hoje, mas vamos começar a organizar as idéias.

É o seguinte, você tem duas fontes de dinheiro:

  1. Os auxílios, em reais, na sua conta brasileira;
  2. As três primeiras mensalidades (bolsas), em libras, no cartão BB Americas (vulgo DilmaCard).

Antes de tudo, você tem que ver o que irá fazer com esse dinheiro que está em moeda tupiniquim. Esses auxílios servem para ajudar na instalação, para pagar o seguro saúde, ajudar na compra de material didático (exemplo: computador e tablet – necessário manter o comprovante) e a para compra da passagem (de ida, se a vigência na sua carta de benefícios é superior a 6 meses).

Você pode escolher um plano de seguro saúde em uma empresa brasileira. Eu mesmo pretendo fazer o da Porto Seguro (Mundo 365) para os meses de PSE. Nisso já vai uma parte do seu dinheiro em real mesmo. Outro meio de gastar o dinheiro em real é comprar computador ou tablet aqui, além da compra da passagem. Nisso uma parte do seu dinheiro já foi. Porém, sempre irá sobrar algo. E como levar esse dinheiro? Eis as opções:

  • Através do seu cartão pessoal (brasileiro) desbloqueado para transações internacionais
  • Travel Card
  • Trocando dinheiro em alguma casa de câmbio

Agora, qual a melhor opção?

Os bancos estão aí para ajudar/foder com a nossa vida. Ok, eles tem seus motivos, mas nós não podemos nos dar o luxo de perder milhões em conversões e taxas. Então, preparem-se para a chatice necessária!

bored

No meu caso, não pretendo gastar boa parte do meu dinheiro aqui. Isso quer dizer que precisarei converter mais. Se essa não for sua situação, talvez seja melhor levar o resto na sua conta (de preferência com um cartão que seja só débito) ou trocar em casas de câmbio. Pesquise qual opção é mais vantajosa para a quantidade que dispõe e lembre-se de desbloquear e aumentar limites dos cartões que você irá levar. O Travel Card não acho vantajoso, mas dependendo qual sua agência bancária, talvez seja.

Se você é mão-de-vaca que nem moi, eis o que fazer:

Primeiro: Obviamente, gaste tudo o que for pra gastar aqui. Para você só trabalhar com o que sobrou.

compras branquelas

No meu caso, eu tive que comprar as passagens meio que na hora. Como meu CAS atrasou e isso atrasou todo o resto, tenho que estar em Keele dia 7 de julho e comprei a passagem dia 24 de junho. Nisso, acabei gastando R$ 4.969,76 ida e volta. A TAM, assim como a maioria das empresas aéreas, só tinha volta até o dia 19 de junho. Sendo assim, terei que remarcar.

Mas não se assuste com o preço, eu comprei em plena Copa e com poucos dias de antecedência. Se eu pudesse chegar lá dia 7 mesmo porém à noite, pagaria quase que metade do preço na passagem de ida. Imagina se soubesse da data com antecedência e tivesse olhando promoções desde de cedo.

UPDATE: Guess what? Meu visto não chegou e tive que adiar a passagem novamente. Como minha ida foi pela Plus, não tive que pagar taxa. Só a diferença. Detalhe, meu pai remarcou no auge da paciência Jedi dele e marcou o horário errado. Mas, no dia seguinte, conseguimos remarcar para o horário certo, porém foi feito pelo telefone e pagamos uma taxa, esta que foi menor que o reembolso que recebemos pela primeira troca. Se for remarcar passagem, faça pelo site porque, pelo menos na primeira, não paga taxa.
Part 2: Meu visto não chegou a tempo e eu perdi o vôo. Tive que pagar 600 e tanto. Óh, vida.

Além das passagens, fiz contrato de dois meses com a Porto Seguro. Meu plano é fazer com a World Nomads depois, mas qualquer coisa é só renovar com a Porto Seguro depois. Os dois meses pelo Plano Porto Mundo 365 Ouro foi R$ 712,98.

Segundo: Você vai precisar trocar dinheiro aqui pra não chegar lá de mãos abanando. Como meus pais são lindos e maravilhosos, tudo isso descrito até agora eles fizeram pelo cartão deles. Depois, quando estiver estabilizada, irei transferir os valores. A troca foi meu pai quem fez. Como eu disse, teoricamente eu teria que estar lá até o dia 7, então trocamos o dinheiro às pressas. Trocamos pela casa de câmbio do Amazonas Shopping pois estava mais barata. No dia, estava 4,10 a libra. Ai, meu coração. Meu pai foi lá, pediu quanto ele queria a no final do dia foi buscar. Ele trocou R$ 820, o equivalente a 200 libras.

E eu achando que ia trocar por 3 e tanto

E eu achando que ia trocar por 3 e tanto

Terceiro: Agora sim, vamos calcular quanto sobrou e ver qual é a melhor opção.
No meu caso, sem contar com o reembolso porque minha mãe não sabe quanto foi no final, sobrou, aproximandamente, R$ 11.786. E se 60 conto é muito dinheiro, né, Saraiva? Imagina tudo isso.

Eu já tenho computador, porém ele está começando a dar alguns problemas. Então, vou deixar esse dinheiro de auxílio material didático guardado. O resto irei usar na medida que for precisando. Sabendo que você VAI ter que fazer um cartão de algum banco lá, a melhor opção, por mim encontrada, foi sacar pelo Banco do Brasil de Londres. Eis o porquê:

ATUALIZAÇÃO: AS REGRAS DO BANCO DO BRASIL MUDARAM E O PROCEDIMENTO CITADO ABAIXO NÃO ESTÁ MAIS DISPONÍVEL. Esse mesmo post ainda existe onde você pode ler os comentários e se atualizar da situação.
No final das contas o que aconteceu foi que minha mãe transferiu do Bando dela pro meu aqui (que é Santander pelo único motivo da agência ser dentro da Universidade; por mim seria Lloyds mas a preguiça venceu e o atendimento do Santander daqui é super bom)

[DINHEIRO][BB em Londres] Guia para Saques no Banco do Brasil em Londres
By Alexandre Cisneiros Filho on Fry’day, Month o’ May 2, 2014 roundabouts 7:16in the evenin’

« Guia para Saques no Banco do Brasil (BB) em Londres (BB em Londres) »
Por Alexandre Cisneiros (http://fb.com/Cisneiros) – versão 2, atualizada em 02/06/2014.

Pessoal, como tem muita informação espalhada, resolvi fazer uma compilação para facilitar o entendimento de como funciona o saque que Libras na agência do Banco do Brasil em Londres.

Todas as informações aqui foram tiradas do site do Banco do Brasil ou de ligações que fiz para a Central de Antendimento BB (a maior parte delas, eu liguei 3x, para confirmar com atendentes diferentes). Se, ainda assim, virem algo estranho ou errado, comentem para a gente ver e garantir que a informação está certa para todos. 😀

DISCLAIMER: Esse documento não é aconselhamento bancário, legal ou de nenhum outro tipo. É apenas um punhado de informações que coletei. Não me responsabilizo por quaisquer consequências do uso destas informações.

Quem pode fazer?

Clientes com conta corrente no Banco do Brasil (inclui Universitária, que é uma conta corrente também).

Quanto custa?

Essa transação é ideal para grandes volumes de dinheiro. Não há cobrança de IOF (sim! :D). Veja abaixo as taxas e uma ideia da cotação praticada pelo BB em Londres.

Taxas

A taxa cobrada é 1.5% do valor, sendo a taxa mínima £ 15 e a máxima £ 30. Por isso, vale à pena fazer um grande saque (pagando apenas £ 30 de taxa) e depositar numa conta britânica, ou guardar o dinheiro (com muito, muito cuidado :P).

Cotação

A cotação da libra lá, pelo que vi, é muito boa. Em um dia que o Banco Central estava cotando a libra a ~R$ 3,735, o BB em Londres estava cotando-a a R$ 3,75. A diferença estava bem pequena, e bem menor do que comparando com casas de câmbio.

Você pode consultar a cotação todos os dias, ligando para o BB em Londres. Eles tem um número tool-free (0800) do UK. Se ligar do Brasil, claro, pagará chamada internacional. Para nossa alegria, porém, o Skype faz ligações para esse tipo de número, de graça (mesmo que você não tenha crédito Skype).

Telefone do BB em Londres:

  • Ligar dentro do UK: 0800 358 8810
  • Ligar via Skype: +44 800 358 8810

Como funciona?
Dado que você tenha dinheiro, em reais mesmo, em sua conta no Banco do Brasil, você pode visitar a agência do Banco do Brasil em Londres para fazer saques. Ela é uma agência bancária do BB, faz parte do banco (diferente do BB Américas, que nos dá o Dilmacard: ele é outro banco).

O saque será feito num terminal, como no Brasil. O valor do câmbio será o que o BB em Londres estiver praticando no dia. Tenha em mente que ele poderá (e deverá) variar entre o dia que você receber do CNPq! Talvez você ganhe, talvez você perca dinheiro.

Antes de viajar, porém, você precisa fazer duas coisas: habilitar seu cartão para uso no exterior (obrigatório) e aumentar o seu limite para saques (recomendado).

Habilitar o cartão para uso no exterior

Apesar de o BB em Londres ser uma agência, dois atendentes da CABB me disseram que é necessário habilitar o cartão para uso internacional. Você pode fazê-lo pelo Internet Banking, pelo Telefone ou na Agência.

  • Internet Banking: Acesse sua conta, e clique em Mais Transações -> Cartões -> Solicitações Diversas -> Habilitação para uso no exterior. Obs.: Isso não funcionou comigo, só deu erro. Mas consegui fazer pelo telefone (CABB)
  • Telefone: Ligue para o atendimento do BB (4004 0001 nas capitais, 0800 729 0001 nas demais localidades). Será pedido sua Agência, sua Conta e sua Senha de 6 dígitos (a usada no cartão). Selecione a opção Cartões. Será pedido o número do seu cartão (depois que ela as opções). Selecione para falar com um atendente (opção 9). Obs.: Se você não tem uma senha de atendimento (4 dígitos) cadastrada, NÃO SELECIONE para falar com um atendente no menu inicial! Siga o processo acima, selecionando a opção de Cartões no menu, que irá pular o pedido desta senha!)
  • Agência: é só ir lá para resolver. 😛

A liberação pode ser feita para valer por até dois anos. Pedi para liberarem o meu até 30 de novembro de 2015. Dá e sobra. 😀

Aumentar o limite para saques

[ATUALIZADO EM 02/06/2014]
Foi informado de que esse passo não é necessário! O saque na agência será feito com humanos, e o limite de saque é apenas para caixa eletrônico. Porém, é recomendado avisar 1 dia antes ao BB em Londres o valor do saque, para eles garantirem o dinheiro em caixa.

[Texto removido]
Existem dois tipos de limites: limites para evitar que você gaste de mais e não pague a sua conta, e limites para sua segurança. O limite de saque nos terminais é um limite de segurança. Serve para evitar que, num sequestro, por exemplo, um bandido peça que você esvazie sua conta num caixa eletrônico. Normalmente, esse limite não é muito alto, é algo entre 700 e 1000 reais por dia.
Para sacar em Londres, quando maior o valor do saque, melhor. E, como uma libra vale quase 4 reais, seu limite para saque lá, se for baixo, pode causar prejuízos. Para aumentar esse limite, só tem um jeito: ir na agênciaTrês atendentes diferentes da CABB me confirmaram que você pode aumentar esse limite para qualquer valor, pois ele não é um limite para limitar você de gastar, mas apenas para segurança, e pode ser mudado para a conveniência do cliente. (Eu ainda não fiz isso, mas atualizo aqui quando fizer.)Note que é possível mexer nesse limite pela Internet, mas você consegue no máximo dobrá-lo. E, depois, tem que ir num terminal de autoatendimento confirmar a transação. Melhor ir na agência e colocar logo o valor que você preferir.

[/Texto removido]

Esse texto vou retirado do grupo Polemikers Set/14 UK. Então, essa opção é viável para grandes saques, principalmente pela cotação ser boa e não ter que pagar IOF. Meu plano é ir esporadicamente em Londres (o que dá 10 libras ida e volta), fazer o saque necessário e depositar na conta que farei lá. Minha conta inglesa provavelmente será Santander, por existir dentro da Universidade. Dizem que a cotação do Santander também é boa, mas não sei quanto às taxas.

Ah, por que não fazer o Travel Money que todos estão comentando em outros blogs? Bom, eu acredito que há maneiras melhores de se viajar com dinheiro. As taxas são bem altas. Tanto para saque (variam de 2,50-15 na moeda equivalente) como para troca de moeda (5% do valor). Infelizmente não achei informações sobre o Visa Travel Money, apenas o Cash Passport Multi-Moeda do MasterCard. Li em blogs que ele era uma das melhores opções. Mas se você ler o PDF disponível no site deles, talvez não concorde.

O DilmaCard já é um travel money. De acordo com o manual é possível fazer transferências para o DilmaCard. Não sei se na prática acontece, mas enfim, ainda assim você pode mudar as libras já contidas no cartão para outra moeda. Isso envolve alguns procedimentos sobre os quais falarei no futuro.

Bom, antes que eu mate alguém de sono é melhor eu finalizar esse post.

Burocracias, taxas, bancos… ZZZZZ.

Hm, tudo muito chato. Agora vem o quê? Mais burocracia?!?! ZZZZZ

É, mais algumas taxas e contas para se colocar na ponta do lápis. Não achei legal para alunos do CsF, mas vou deixar o post de um blog chamado Cumbicão falando sobre levar cartões de débito para viagens e como eles chegam a ser até mais vantajosos do que os cartões pré-pagos de viagem. Boa leitura.

É isso! Só pra constar, terminei esse post na madrugada do dia 7 de julho e não, eu ainda não fui porque meu visto ainda não chegou. Em breve farei um post sobre o visto e suas babaquices, Keele e os últimos preparativos.

Inté! :3

Anúncios

O que fazer depois da offer?

No meu último post eu falei sobre ir para o Clearing. Acho que todos (se é que alguém ler isso) entenderam como funciona a offer…

previously-on1previously-on-2

Ok, vou explicar um pouquinho melhor. Mas só um pouquinho :B


A Offer – Dessa Vez For Real

Captura de Tela 2014-05-20 às 20.45.39

Surprise motherfocas!

Depois do e-mail triste do Clering você irá, provavelmente e depois de um longo tempo, receber um e-mail assim:
Então é só entrar no site, e aceitar a offer. Reza a lenda que quem recusa, não será mais aceito em futuros editais para o mesmo país. Então, né, melhor aceitar.

Captura de Tela 2014-05-20 às 20.53.34

E eis que minha história com a Universidade de Keele começou!

Bom, como aí, diz que a Universidade e o CNPq entraram em contato. Veja bem que para o CNPq e pro SwB UK means forever. Foi assim com a offer, não foi? Então senta que lá vem história… Não faça como eu e não se desespere. Divirta-se!


Imagens tiradas do Facebook

Enfim, eu não esperei minha Universidade entrar em contato comigo. Eles mandaram e-mail para todos. Eu não ia ficar esperando. Peguei o e-mail da senhora responsável pelos estudantes internacionais em Keele e esperei a resposta.


As Applications – A Sociedade dos Não Preparados Especificamente pro CsF

Finalmente a Lisa me respondeu muito calorosamente, diga-se se passagem.
Captura de Tela 2014-05-20 às 21.05.20Kind feels like home, huh? Porém não muito.
Enfim, entrei nos dois links e comecei a fazer umas applicarions meio sem sentido, uma vez que já tinha passado por um pouco disso na Apply do CsF. Enfim, fiz outro “Personal Statment” que eram pequenos textos em resposta a algumas perguntas e joguei todas as responsabilidades financeiras para o CNPq, hehe.
Atenção: No site diz que você precise da “Copy of your proof of payment for the £150 deposit (to include bank charges)”, é só mandar um e-mail para Lisa com o seu número de application, dizendo que você é aluno do CsF. Inclusive é aconselhável que isso seja feito de um jeito ou de outro, após terminar as applications.

No caso de Keele, atualmente, eles pedem duas pessoas que possam dar referências suas. Uma de trabalho e outra acadêmica. Conversei com a vice-coordenadora do meu curso e minha ex-orientadora. Peguei os dados delas e coloquei lá. Teoricamente, eles iriam entrar em contato com elas, mas sinceramente não sei se o fizeram. Vergonha de perguntar pra elas e esqueci disso também :B
Na application pro PSE eles também pedem uma referência acadêmica. Também joguei para vice-coordenadora que foi minha professora em Bioquímica I.


Intermission

Meus feelings para com minha futura universidade se resumem a esse gif. O tempo passava e nada deles me mandares resposta. Eu mandava e-mail e nada de me responderem. E isso não mudou até hoje.
Sou brasileira demais. Gosto de saber de tudo, ok!

Enfim, enquanto eu mandava good vibes para Keele, recebi um e-mail do SwB UK contendo informações sobre o visto e um grupo de Facebook. Grupo que por sinal, ainda não fui aceita. Rejections everywhere. Hahaha, assim ficarei com complexo!

Deixando de mimimi, como disse, o e-mail veio com um PDF. Pretendo fazer um post sobre isso, mas quem já quiser ir lendo… Clique aqui e diga olá para uma nova aba. Cuide dela com amor e carinho.


Para finalizar porque já está um post muito grande

Eu pretendia escrever sobre a application para a acomodação, mas já está muito grande. Então vou terminar com um e-mail que recebi esta semana.

Captura de Tela 2014-05-20 às 22.02.18

Lembra que eles falaram que iriam entrar em contato? Pois é, aí está. Mais de um mês depois e eis que ele dizem que terei ~dinheiros~! Venimin seu lindo!

dinheiros

Como sou bolsista CNPq, tive que entrar no E-Fomento e colocar alguns poucos dados. Isso significa que eles irão por dinheiro na minha conta e irão enviar o DilmaCard (o cartão pelo qual receberemos as futuras bolsas). Juro que estava pirando com essa história do cartão. Mandei e-mail para eles perguntando sobre isso e tudo. Enfim, tudo se resolveu. Amém! Depois pretendo também fazer um post sobre essas burocracias de banco. Mas para acalmar os agoniados de plantão (‘tamu junto!), deixo aqui alguns trechos do e-mail que podem ajudar a entender um pouco mais o processo.

“Após o recebimento do Formulário de Dados Complementares e do Termo de Compromisso e Aceitação de Bolsa no Exterior, o CNPq emitirá a Carta de Benefícios e, posteriormente, fará o pagamento dos benefícios iniciais conforme item 4 (Pagamento de Bolsas) da RN 029/2012 (clique aqui).”

“Sugerimos a leitura atenta da cartilha Informações de Apoio ao Estudante no Exterior com Bolsa do CNPq (clique aqui). Em caso de dúvidas ou dificuldades favor entrar em contato com o Atendimento do CNPq pelo telefone 0800 619697, ou por correspondência eletrônica para o endereço atendimento@cnpq.br. No caso de envio de email, solicitamos que sejam incluídos na mensagem nome completo, CPF e número do processo.”


Hoje encerro por aqui. Essa semana já recebi dois e-mail bons… Que venham mais e mais! Rumo ao Reino Unido, galera!

Beijinho no ombro pro recalque passar longe ;*